• Fernanda

Você é suficiente!

Actualizado: 16 de nov de 2019

Antes de começar o artigo, vou te pedir um grande favor. Procure um lugar tranquilo onde você possa estar pelo menos 1 minuto sozinho(a) e também que tenha um espelho (ou você pode levar até esse lugar tranquilo um espelho de bolsa portátil).

Sim, se você pensou no banheiro, pode ser esse lugar o mais adequado :-)

Se olhando no espelho, repita tranquilamente:

Eu sou suficiente!
Eu sou suficiente!
Eu sou suficiente!

Como você se sentiu se dizendo isso?

Você acha que essa afirmação é verdadeira ou falsa?

Quais foram as emoções que você sentiu?


Bem-vindo(a) a este artigo que te ajudará a praticar ao máximo a sinceridade contigo. Procure um papel e uma caneta ou lápis. Além do mais, seria interessante que você estivesse em um lugar o mais tranquilo possível. Isso te ajudará a se concentrar melhor. Quando você estiver preparado(a), continue a leitura.


Faz alguns dias, vi um vídeo maravilhoso de uma conferência da terapeuta britânica Marisa Peer e foi muito revelador para mim conhecer o seu trabalho; a hipnoterapia transformacional. A base do seu trabalho que permitiu ajudar a muitas pessoas está na frase: “Eu sou suficiente”. Esta simples frase contém muito mais do que você pode imaginar, como por exemplo: crenças limitantes, experiências do passado mal interpretadas ou mal resolvidas, uma autoestima baixa, entre outros.


Para você, o que é se sentir suficiente?

Você acha que se sentir suficiente é o bastante? Ou sempre falta algo mais?


De acordo com o dicionário brasileiro e orientado ao tema abordado no artigo, a palavra suficiente significa: “que ou aquilo que basta ou que satisfaz. Uma pessoa que se considera suficiente é boa ou razoável, que tem capacidade ou habilidade para realizar algo e de viver sem depender de outras pessoas, é independente, revela confiança e apresenta abundância”.

Ual!!!! Uma descrição poderosa para uma simples palavra, você não acha?


Se sentir suficientemente apto para algo, nos da a tranquilidade que, independentemente do resultado, o que temos de conhecimento e ferramentas são adequados. Não falta nada mais.


Se sentir suficiente nos aproxima da aceitação do resultado que obteremos depois de cada ação ou inação. Não dá a oportunidade para o EGO procurar desculpas, justificativas e motivos para seguir remexendo nas feridas, nas expectativas ou nas autoexigências.


Como posso me sentir suficiente?

Normalmente o pensamento de não ser suficiente vem de longe, muitas vezes a sua raiz está na infância. Algo ocorreu no passado, que te fez acreditar que você não era o bastante bom/boa para fazer ou sentir algo. Possivelmente você carrega essa crença por muitos anos e o mais importante nesse momento é ter paciência contigo, para que você possa se desprender de pensamentos repetitivos que não te servem mais.


Usando uma metáfora excelente que a minha amiga Maria de "Dharmagaia Online Wellness" usou na sua rede social, acreditar em novas possibilidades e reconstruir os hábitos é como fazer uma atualização do próprio "sistema operacional". É o “upgrade” necessário para seguir desfrutando da vida e observando com outra perspectiva o que o mundo quer nos oferecer.


Antes de fazer um exercício muito interessante que te permitirá soltar as suas crenças limitantes, seria interessante que você conhecesse o estudo do Ali Binazir da Universidade de Harvard, sobre qual é probabilidade de nascer novamente tal e como você é. Já te adianto a resposta e é praticamente 0 (zero). Você pode ver essa informação escrita ou por vídeo na internet (você pode procura o vídeo com o nome “Aquí estás”, está em espanhol e é possível colocar a legenda em português).

Você é um milagre único e irrepetível. Não desperdice essa oportunidade.


Detrás do pensamento: “Não sou suficiente”, existem crenças que o reforçam a cada dia.


Te convido a fazer um exercício que eu chamo de “Flash Back”. Esse exercício está inspirado nos exercícios de mudança de crenças da PNL, no trabalho da Marisa Peer e no meu trabalho pessoal de autoconhecimento.


Após identificar a existência do pensamento que você não é suficiente, peço que lembre desde quando aparece esse pensamento. Você fará esse exercício desde o momento presente para atrás. Escreva a quantidade de pensamentos repetitivos que aparecem, tantos como você quiser. Não há regra de máximos e mínimos e ninguém vai te julgar ou avaliar por isso. É um presente que você se dá.


Uma pequena explicação sobre os termos usados. Pensamento repetitivo é igual a crença. Você se concentrará nas crenças que são limitantes; em outras palavras, nos pensamentos repetitivos que te impedem de alcançar algo que quer ou que não te dão energia positiva.


Exemplos (se você quiser pode colocar a idade que corresponde cada pensamento):


O fato que você coloque por escrito (de preferência à mão) em que você se acha insuficiente, te permite iluminar a sua consciência nesses pensamentos que antes estavam em piloto automático.

Todas essas frases somente são afirmações que você considera válidas na sua vida. Não te define como pessoa e são totalmente modificáveis.

Após terminar o seu quadro de pensamentos, responda a seguir:

  • Dos pensamentos referentes ao seu passado, por exemplo, se alguém que no momento presente é adulto(a), terá que olhar no quadro de pensamentos da adolescência e da infância. Selecione quais desses pensamentos você acha que ainda estão ativos na sua vida. Acrescente esses pensamentos na parte do quadro do seu momento presente e mude o tempo verbal de “Eu me achava” para “Eu acho” ou “Eu me sinto insuficiente...”. Caso você não encontre nenhum pensamento antigo ativo no seu presente, não se preocupe. Você trabalhará esse exercício com a fase atual.

  • Dos pensamentos do momento atual, escolha no máximo 2 deles para trabalhar durante 1 semana. Depois que terminar esse prazo, te aconselho que você continue o mesmo procedimento com os demais pensamentos até que não sobrem mais na fase atual. O critério de escolha dos pensamentos é: selecione os pensamentos que hoje em dia te impedem de avançar na vida; os que mais te incomodam, os que te tiram a energia.

  • A partir das 2 frases escolhidas, responda para cada uma delas:

  1. Concrete as afirmações. Exemplo: se escolho uma frase muito abstrata como: “Me sinto insuficiente quando não consigo o que quero”, você terá que especificá-la, respondendo o que exatamente te faz sentir insuficiente. Uma resposta pode ser: “me sinto insuficiente quando não alcanço as expectativas do meu chefe”.

  2. Quando não funciona esta afirmação? Exemplo: a partir do mesmo exemplo anterior, a resposta pode ser: “quando o meu chefe reconhece que fiz um bom trabalho e está satisfeito com o resultado”. Se para você é complicado responder essa pergunta, poderia te ajudar muito pensar em qualquer situação, da mais simples e cotidiana a mais complexa.

Parabéns pela realização do exercício! E um especial reconhecimento se você conseguiu responder à pergunta 2. Você acaba de desmascarar algumas das suas crenças limitantes. Caso você não a tenha respondido, não se preocupe, faça esse exercício em outro momento ou procure ajuda de um profissional para que te acompanhe nesse processo de investigação pessoal.

Todos temos boas referências próprias.

Uma crença para ser forte, o único que precisa são confirmações que ela existe e é certa em todos os momentos. Ao menor sinal que ela não funcione, perde o seu valor e poder. Esse é o motivo pelo qual é tão importante que você encontre a resposta da sua segunda pergunta do exercício.


Depois que você se tornar consciente das suas crenças que não te servem mais, você terá duas alternativas:

  1. Não fazer nada e seguir a sua vida.

  2. Fazer limpeza de crenças limitantes e pensamentos repetitivos.

Ambas alternativas são válidas, portanto, não se torture por isso. Se você decide não fazer nada, já chegará o momento que a necessidade se fará presente.


Se permita ir além no exercício proposto para que você possa identificar onde estão os seus bloqueios.


Quando você faz um trabalho de crenças limitantes, o requisito mínimo é que seja voluntario; que você deseje se desprender delas e acreditar em algo que te dê energia e empoderamento.


Em outros exercícios de PNL por exemplo, eu te diria que você transformasse as crenças limitantes que identificou e as colocasse em positivo Essa é uma opção muito válida e poderosa, mas nessa ocasião eu gostaria de te apresentar uma alternativa diferente, que eu acho ainda mais simples e poderosa. Se refere ao trabalho da Marisa Peer.

O único novo que você precisa acreditar e permitir uma vida mais leve e feliz é incorporar a seguinte afirmação no seu dia a dia: “Eu sou suficiente!”

“Eu sou suficiente para o meu trabalho, para a minha família, para o meu bem-estar, para o meu parceiro/ a minha parceira...”


Escreva em todas as partes da sua casa e objetos pessoais. Escreva no seu espelho, na sua carteira, no fundo de tela do computador, no celular..., por todas as partes e repita dia após dia, como se fosse um mantra pessoal.


Tente repetir essa afirmação durante 1 semana e perceba as mudanças na sua vida. Talvez você perceba somente mudanças pequenas mas com o tempo isso se converterá em algo muito grande.


Observe o seu corpo, como se posiciona depois de falar essa afirmação. Você está mais reto(a) ou mais curvado(a)?

Quais são as emoções que você sente depois de afirmar isso?


Caso você chegue à conclusão de não se sentir bem repetindo essa afirmação porque na realidade você não acredita nela, não se preocupe. Faça o exercício mencionado acima e identifique quais são os pensamentos repetitivos e desde quando isso ocorre.

O autoconhecimento é para valentes.

Pode ser que não seja fácil para você se olhar internamente, por isso ter a sua disposição alguém que te acompanhe nesse processo, te facilitará conhecer as suas luzes e as suas sombras.


Chegou o momento de fazer limpeza de crenças e ter uma ferramenta útil para se empoderar.

Você é suficiente!
Você é completo(a)!
Você é perfeito(a)!
Você tem tudo o que você precisa, nada te falta.

Se você gostou dessa reflexão, compartilhe com os seus amigos em qualquer rede social e também me envie o seu feedback (clique aqui), vou adorar saber como você se sentiu.


E se você sente que é um bom momento para você investigar um pouco mais sobre esse tema ou outros, entre em contato comigo (clique aqui) para saber mais detalhes de como posso te ajudar.