• Fernanda

A utopia de dominar a mente

Actualizado: 15 de ago de 2019

Controle os seus pensamentos!

Deixe a sua mente vazia!

Pense em coisas positivas que tudo vai dar certo!


São familiares essas frases e conselhos?


Em muitos momentos na nossa vida, parece que a nossa mente tem vida própria e nos diz o que temos que fazer, sentir, dizer, quem temos que julgar ou gostar. Quando notamos que isso está acontecendo, temos problemas como a angústia, o sofrimento e entramos em desacordo com o que realmente desejamos, e o “antídoto” para resolver essa situação é “dominar a mente”. Normalmente atuamos de 2 maneiras: sendo mais fortes que esses pensamentos ou não dando importância ao que está ocorrendo e não fazemos nada.


Na minha experiência pessoal, me custou muito entender o mecanismo da mente quando ela gera esses pensamentos e o porque eu não conseguia pará-los. Era como deixar o leme do barco nas mãos da mente e quando chegássemos em um cais qualquer, ela me dissesse: Desce, já chegamos! E eu me questionasse: Onde estou?


Se essa situação não é estranha para você, não se preocupe, existe solução.


Como diz o título desse texto, é uma utopia, uma fantasia querer dominar a mente. Não é necessário dominar nem controlar nada. Quanto mais a gente tenta controlar algo, menos o conseguimos. A chave aqui é se reconciliar com a mente. Transferir o poder que um dia você cedeu a sua mente (de maneira inconsciente) para sua pessoa.


Para que nos entendamos melhor:


  • Vamos chamar a "mente" de “Ego”: que é aquele que defende os nossos interesses de sobrevivência, aquele que nos protege de tudo e todos, aquele que sempre quer ser o primeiro.

  • E vamos chamar a "sua pessoa" de “Eu verdadeiro”: aquela pessoa que veio ao mundo para ser feliz, que brinca, que é pura de coração, intuitiva e que constrói e realiza os sonhos. Resumindo: é aquela “voz baixinha” que surge de vez em quando e nos sussurra algo no ouvido.

Devolver o poder ao seu “Eu verdadeiro”, vai te permitir fazer exatamente o que quer e além disso, você terá claro o que deseja em cada momento. Não existe dúvida, somente ação.


A harmonia entre o “Ego” e o seu “Eu verdadeiro” é essencial para que fluía a vida, para que você tenha segurança nas suas decisões e também se perdoe caso de repente você perceba que as coisas não saíram como queria.


Como se reconciliar com o “Ego”?

Te recomendo dois passos fundamentais para que você comece esse trabalho pessoal:


1-) Não o tema, o “Ego” não morde.

2-) Entenda como funciona o seu “Ego” no dia a dia – Auto-observação constante.


Quando o “Ego” está equilibrado, é aquele que nos apoia:


  • No autocontrole;

  • Em praticar uma boa empatia com o outro (e não um contagio emocional – o que referi no artigo anterior publicado);

  • Em praticar o perdão (próprio e alheio);

  • No amor próprio

  • Resumindo: ele nos ajuda a transitar pelo mundo defendendo os nossos verdadeiros interesses, sem a necessidade de passar por cima de outras pessoas.

O “Ego” funciona de maneira equilibrada quando está trabalhando sob as ordens do “Eu verdadeiro”.


Quando você transforma em ação aquela “voz” que as vezes você ouve, você estará passando o poder ao seu “Eu verdadeiro”.


Não se preocupe se achar que essa “voz” é referente ao medo ou temor por algo ou alguém. A diferença é que, quando fala o “Eu verdadeiro”, o que você escuta te da energia, te motiva e principalmente está alinhado com o que você sente no corpo.


Palavras do “Eu verdadeiro” = sensação corporal tranquila.


Você pode chamar como quiser essa “voz interior”: intuição, premonição, consciência, frio na barriga, emoção...


O ponto chave para começar a dar o poder ao seu “Eu verdadeiro” é percebê-lo, ouvi-lo e fazer o que ele quer.


  • Se para você é complicado percebê-lo, fique atento(a) a essa “voz” que as vezes surge e que te coloca em dúvida se decidir por uma coisa ou outra;

  • Se para você é complicado ouvi-lo, quando você ouvir essa “voz”, fique em silêncio e indague o que quer te dizer, estabeleça um diálogo interno com ele;

  • Se para você é complicado fazer o que te diz o “Eu verdadeiro”, comece fazendo ações fáceis. Simplificar as ações que queremos fazer facilitará o começo delas e nos motivará seguir adiante. O menos é mais.

A “magia” somente acontece quando você coloca em pratica tudo isso.


Tentar, errar e tentar novamente. Esse é o caminho para estabelecer um novo hábito e conhecer uma melhor versão de si mesmo.


A prática te permitirá criar êxitos, que te motivarão a seguir adiante com esse trabalho pessoal.


Quando você começar a escutar o seu “Eu verdadeiro”, você se surpreenderá quem está aí dentro e quão libertador que é deixa-lo(a) sair e falar. Você vai se conhecer de verdade. Vai acordar dos seus pesadelos e viver uma vida com o simples propósito de ser feliz.


Você tem coragem de se ouvir? Tente e se quiser me conte sua experiência.


Se você gostou dessa reflexão, compartilhe com os seus amigos em qualquer rede social e também me envie o seu feedback (clique aqui), vou adorar saber como você se sentiu.


E se você sente que é um bom momento para você investigar um pouco mais sobre esse tema ou outros, entre em contato comigo (clique aqui) para saber mais detalhes de como posso te ajudar.