• Fernanda

Identidade

Actualizado: 15 de ago de 2019


Sabemos quem somos?


Para quê descobrir mais sobre a pessoa que somos, o que realmente gostamos e quais são os nossos pontos fortes e fracos?


Quais são os pros e contras que podem nos trazer esse processo de auto-conhecimento?


Na realidade, saber quem somos, não se trata somente de saber como apresentar-nos ao mundo, como conseguir um trabalho ou como obter beneficio econômico de um talento. Esse processo de auto-conhecimento é muito mais intenso e de longo prazo. É um caminho que fazemos durante toda a vida e o ideal é viver em harmonia com o que somos, fluir com tudo e todos aqueles que estão na nossa volta.


Normalmente, iniciamos esse processo quando acontece alguma coisa que marca muito a nossa vida: um acidente, uma morte ou uma doença. A tendência é reagir somente depois desse momento de “crack” (de quebra). No meu caso foi uma lesão no ombro, a partir daquele momento começou a minha introspeção sobre a minha vida, quem era, meus objetivos, etc…


Saber quem você é, não é colocar num papel um adjetivo ou se descrever, é sentir uma conexão que existe entre você e o mundo.


Os beneficios que uma pessoa pode ter com esse processo são muitos, mas acredito que o mais prazeroso é se sentir feliz nesse caminho, fluindo com as suas decisões e sem expectativa sobre o presente e o futuro, o qual é totalmente moldado segundo os seus pensamentos e o que você faz com o seu aqui e agora.


Sobre as desvantagens desse processo, acredito que o pior que pode acontecer é que você tenha que encarar aspectos pessoais que são mais sensíveis, e claro, isso requer disposição e muito amor para com você mesmo. É por isso que é importante a confiança numa boa pessoa para te acompanhar nesse aprendizado tão profundo.


Se uma pessoa não tem vontade de apostar em si mesma, certamente nao poderá reclamar que o mundo (trabalho, familia, cônjuge…) não reconheça os seus valores.


Não exija do mundo o que você não é capaz de se dar.


Você não se sente amad@? Em primeiro lugar, se ame.

Você não se sente respeitad@? Seja coerente com o que você sente e pensa para se respeitar em primeiro lugar.

Você não se sente em paz? Promova a paz e harmonia no seu comportamento e pensamento.


Se você gostou dessa reflexão, compartilhe com os seus amigos em qualquer rede social e também me envie o seu feedback (clique aqui), vou adorar saber como você se sentiu.


E se você sente que é um bom momento para você investigar um pouco mais sobre esse tema ou outros, entre em contato comigo (clique aqui) para saber mais detalhes de como posso te ajudar.