• Fernanda

Avião de lágrimas

Quando você voa para algum lugar, você não quer que as lágrimas sejam o principal combustível.


Quando você diz tô chegando, você quer que um coração se acenda de alegria esperando a sua chegada.


Que o voo seja um fôlego leve , uma nova experiência, uma coisa boa.


Lágrimas me acompanharam antes mesmo de surgir o meu voo.


Choro silencioso e doloroso como se uma faca entrasse no meu estômago sem chance de sobreviver.


Mais uma vez, mesmo naquele momento de extremo apagão, você me deu o seu calor e a sua companhia.


Cheguei mãe, não falei que ia dar tempo, foi a primeira coisa que te disse quando te vi naquele lugar tão estranho.


Em vez de cheiro de um café gostoso com pão de queijo ou qualquer um dos seus quitutes deliciosos, havia cheiro de rosas, ruído de água e uma paz inconfundível no seu rosto. Um tipo de paz que sinceramente não queria conhecê-la tão rápido.


Mesmo no frio da sua carne você me dava calor e em um simples toque me convidada para dançar. Pena que essa harmonia se rompeu na interrupção espiritual que me avisava que não era o meu processo de desconexão e sim o seu. O seu adeus carnal.


Compartilhou o coração e o seu momento de ida com muitas e muitas pessoas. Como algo pôde ser tão lindo e tão triste ao mesmo tempo.


Você reuniu muita gente e fez jus a toda sua trajetória.


Passavam as horas e muitas pessoas quiseram te ver.


Era impossível de acreditar o que estava acontecendo.


Mesmo não querendo, o meu avião de lágrimas aterrizava e rasgava o seu contato com a terra de maneira brusca e dolorida.


Tanta dor deu lugar a um lindo jardim, que mesmo não sendo primavera, assim se chamava o lugar.


Além de virar uma linda estrela, você virou a semente que guardamos debaixo da terra. Tudo e todos se transformam e assim segue o ciclo da vida. Parece o mais natural.

O natural que forçadamente temos que aceitar.


Aceitar o inaceitável.


Novamente parte o avião de lágrimas com a única certeza que a sua ausência me aproxima ainda mais de ti.


Você vive em mim, você vive em todos nós. Te amo eternamente mãe.