marcas do passado

As marcas do passado que voltam ao presente.

 

Existe uma música do cantor argentino Diego Torres que eu gosto muito e se chama “Dónde van” (Aonde vão). Essa música me faz refletir sobre o peso que tem os acontecimentos do passado mal resolvidos e porque os trazemos ao momento presente. Um fragmento da música diz:

 

“Donde van todos los sentimientos y cuando de repente se lastima un corazón, se escapan por la espalda lejos de las miradas o quedan solitarios para siempre en un rincón.”

 

“Aonde vão todos os sentimentos, quando de repente machuca-se um coração, escapam pelas costas longe dos olhares ou ficam solitários para sempre em um canto. "

 

Esse texto te proporcionará uma profunda reflexão sobre as feridas do passado que não foram curadas e que de alguma maneira se manifestam no seu momento presente.
 

Tudo o que acontece na vida, nos ajuda a aperfeiçoar a nossa consciência, afinar a nossa percepção de quem somos e para onde podemos evoluir como seres.

 

Segundo a interpretação e/ou rótulo que você atribuía ao que está vivendo em cada momento, fará que o seu aqui e agora seja mais fluído ou mais estancado. Nenhuma situação tem um valor positivo nem negativo, simplesmente é o que é.

 

Depois de cada situação vivida e dependendo da intensidade de como a vivemos, ficarão mais ou menos marcas e acumularemos mais ou menos experiências. Depende de cada um de nós livrar-nos da carga emocional que temos dentro, para que a próxima situação seja vivida da melhor maneira. O tema é que, não sabemos ou não temos o costume de “esvaziar-nos” para seguir adiante. Isso seria como se fôssemos de férias pelo mundo e por cada lugar que estivéssemos, teríamos que esvaziar a mochila de todas as coisas supérfluas que tivéssemos comprado (lembrancinhas…). Você imagina se tivéssemos que carregar uma lembrança material (uma marca) de cada lugar que visitássemos? Certamente a mochila não aguentaria ou o nosso corpo estaria muito dolorido de tanto carregar peso desnecessário.

 

As marcas do passado mal resolvidas, voltam em algum momento da vida para nos oferecer a oportunidade de superá-las e seguir adiante.

 

O corpo é um indicador muito bom que te mostrará se algo do passado está no seu presente. Às vezes se manifesta em forma de lesão na qual ninguém encontra explicação, uma dor crônica que persiste no tempo, uma infecção que se repete em períodos determinados, uma reação na pele depois de passar repetidamente por momentos estressantes, etc. É importante indicar que a cura desses sintomas jamais substitui um diagnóstico e tratamento médico. Todas essas e outras manifestações do corpo são sinais de que algo não está bem e, depois das devidas avaliações médicas e diagnósticos de que o corpo está saudável, é possível considerar a possibilidade de que seja algo psicológico.

 

Estar disposto a livrar-se das correntes do passado, também ajudará a livrar às pessoas que estão a sua volta e ademais, você seguirá o seu caminho nessa vida de maneira mais leve e saudável.

 

Uma vez me sugeriram um exercício que representava o que mencionei acima. Para mim foi bastante útil para valorizar o que estava fazendo com minha vida naquele momento, portanto te convido a essa reflexão:

 

Estamos em uma sala de pé e te proponho que pegue um copo cheio de água que está em cima da mesa. Você estende o braço, pega o copo e o sustenta no ar diante do seu peito.

Você aguentaria o copo assim nessa postura durante 1 hora? Certamente você me responderia que sim. E durante 5 horas? Mesmo com um pouco de dúvida, você me responderia que sim.

E durante 1 dia? Possivelmente você pensaria em alguma forma de ajuda para aguentar o peso do copo, mas mesmo assim, você responderia que sim.

E 1 semana?

E 1 ano?

E 10 anos?

E durante a vida?...

Acho que não é necessário que te diga as respostas, né? E se te dissesse que o copo representa sua vida e seu corpo, e a água representa o peso extra do passado? Sendo assim, vamos supor que a água não transborda o copo, já que isso representaria a sua saúde escorrendo por entre seus dedos. 

 

Esvazia o seu copo, assim deixará mais leve a sua vida e seu corpo de tantas marcas que devem permanecer onde foram criadas, no passado.

  

Se esta leitura foi útil e você sente que é um bom momento para você evoluir como ser humano, entre em contato comigo para saber mais detalhadamente como posso te ajudar.  

 


Escribir comentario

Comentarios: 3
  • #1

    Virginia (jueves, 23 noviembre 2017 17:07)

    Oi Fezinha,
    Sabe que sou sua fä desde a primeira vez que te encontrei bem novinha na Argentina. Naquela época você era uma pontencial enorme. Acertei na mosca!!!!
    Tudo de bom pra você.
    Parabéns pelo trabalho.
    Um beijo
    Virginia

  • #2

    Fabiana (lunes, 04 diciembre 2017 14:00)

    Muito bom, Fe, excelente insight! Realmente faz mal ficar “segurando o copo” por tempo demais. A gente precisa se deixar errar mais e entender que faz parte do aprendizado. E que todas essas experiências são o que nos tornaram o que somos hoje!! Bjs

  • #3

    Daniele (viernes, 08 diciembre 2017 18:36)

    Podemos refletir sobre horas nessas palavras. Mas pior é o choque diante da nossa posição perante a vida. Quando jogamos nossos sentimos barco a fora, dificilmente conseguimos regata-los e quando isso acontece, já estão de tal forma deteriorados pelo mar que já não são os mesmos. É preciso nos ouvir de verdade. Às vezes pensamos que estamos no vendo e ouvindo, mas o que fazemos é lançar-nos barco à fora. Nós perguntar se estamos felizes, se nosso estado nos faz sentido. A conversa com você me fez abrir os olhos, agora é preciso aprender a colocar as coisas em seus lugares devidos. Parabéns! Grande trabalho! Bjbjbj