sim, não, talvez - o meu diálogo interno

 

“Diga como você se comunica consigo, que eu te direi como você é.”

 

Como você se comunica consigo, como você se cuida e como você se respeita, diz muito sobre quem você é e que tipos de problemas você tem.

 

Bem-vindo(a) a esta nova reflexão que te convida a analisar, muitas vezes pela primeira vez, o diálogo interno que todos temos. 

 

Normalmente estamos mais preocupados com a comunicação externa que com a interna. Nos preocupa mais o que acontece fora para poder opinar e julgar, que com a maneira que falamos conosco. 

Ser conscientes da existência do nosso diálogo interno, nos facilita a compreender a nossa maneira de viver diferentes situações e também nos ajuda a motivar atitudes que estejam ao nosso favor. 

 

É muito comum durante o período que a consciência está dormindo (desativada), sejamos o nosso próprio adversário ou pior, o nosso grande obstáculo. 

Acordar a nossa consciência nos permite conhecer e fluir com o diálogo interno, nos alinhando com os objetivos e conquistando tudo o que queremos. 

 

O diálogo interno percorre um trajeto com muitos elementos e o principal é a emoção. A emoção está conectada com experiências vividas de maneira negativa ou positiva, fortalecida pelas crenças e valores e manifestada exteriormente através dos comportamentos e gestos. 

 

O escritor do best-seller “O jogo interno do tênis”, W. Timothy Gallwey, um dos pais do coaching moderno, identificou e demonstrou através de muitas investigações que no diálogo interno atuam dois “Eus”, um parece que dá as ordens e o outro parece que as cumpre. Melhorar o relacionamento entre eles é a chave para alcançar uma melhor concentração sem esforço e ao mesmo tempo conseguir a harmonia entre o corpo e a mente. 

Em outras palavras, o diálogo interno acontece entre o "Ego" e a pessoa. É o julgamento diante da sabedoria, é o medo diante da tranquilidade, é o ódio diante do amor. 

Como você pode imaginar, o diálogo entre essas duas “entidades” dentro de uma pessoa pode ser explosivo. 

 

Como eu posso ouvir o meu diálogo interno?

 

O primeiro passo é identificar quem está falando em cada momento.

 

O diálogo interno é o pensamento falante, com julgamentos, emoções, expectativas e etc. Tudo isso acontece em um plano pré-consciente, ou seja, entre o inconsciente e o consciente.

 

Você já escutou alguma vez os seus pensamentos?

 

Muitas vezes o que acontece comigo é que estou em silêncio e escuto o meu diálogo interno. São meus pensamentos falantes que parecem que, de maneira consciente não interfiro na conversa. Quando eu menos espero já está acontecendo um diálogo ou dependendo da situação é uma discussão interna. 

 

Como diferenciar os dois “Eus”?

 

É muito fácil, quando você perceber que está acontecendo um diálogo interno, somente tem que se perguntar: “quem está falando?”.

Esta pergunta automaticamente te trás ao momento presente e colocará consciência ao diálogo. Você começará a ouvir claramente o conteúdo do mesmo e consequentemente você identificará quem é a sua essência, o seu verdadeiro Eu.

  • O "Ego" se caracteriza pelo julgamento, por querer sempre o protagonismo, a aceitação das demais pessoas, por querer ter a razão e justificar tudo.
  • O seu verdadeiro Eu se caracteriza pela tranquilidade, pela sensatez, pelo amor próprio, por escolher ser feliz, por querer o bem-estar e a harmonia. 

Saber diferenciar entre ambos e obedecer o que diz o seu verdadeiro Eu, te permitirá sempre se guiar pelo que realmente você quer e deseja.

 

O verdadeiro Eu também pode ser considerado o próprio corpo. O corpo é o melhor filtro e te dirá sempre quando algo ou alguém te proporciona bem ou mal-estar.

 

Além das emoções, do julgamento, das expectativas e das experiências anteriores, nosso diálogo interno também está influenciado pela percepção que temos da realidade. Independentemente do que acontece e te faz sentir de uma determinada maneira, o que você sente não tem nada a ver com o que ocorre, e sim como o que acontece se relaciona com o seu estado emocional interior. 

  • Se você entende, sente e vê mais tristeza, possivelmente seja porque você se sinta assim consigo.
  • Se você compreende, ouve e fala mais sobre temas relacionados com o medo, talvez é porque você se sinta assim consigo.
  • Se você percebe, sente e escuta mais temas relacionados com a alegria, possivelmente seja porque você se sinta assim consigo.  

Tudo o que percebemos sobre a nossa realidade, é somente uma pequena interpretação muito pessoal sobre o que está acontecendo e o seu significado dependerá de como estamos emocionalmente. 

Um exemplo bastante próximo a todos nós sobre isto é quando estamos apaixonados, nosso estado emocional muda e ao mesmo tempo muda a energia, a maneira de ver o mundo e de viver a vida. Isso não quer dizer que todos os problemas foram resolvidos e sim, que o estado emocional é tão favorável e motivador que a interpretação sobre a realidade ganha um outro significado. 

 

Cuide do seu diálogo interno. Isso depende 100% de você. 

Seja o seu melhor amigo, o seu melhor aliado.

 

Se você gostou dessa reflexão, compartilhe com os seus amigos utilizando os botões mais abaixo e também deixe o seu feedback, vou adorar saber como você se sentiu. 

 

E se você sente que é um bom momento para você investigar um pouco mais sobre esse tema ou outros, entre em contato comigo para saber mais detalhes de como posso te ajudar.

 


Atención: Los campos marcados con * son obligatorios.